Novidades

Promoção de Saúde / Como engajar a minha equipe?

Nas últimas décadas, a Odontologia vem evoluindo muito, mas ainda estamos engatinhando quando o assunto é Promoção de Saúde e prevenção.

Quando me formei em 1988 estava determinada a fazer uma odontologia voltada para prevenção, mas logo no primeiro ano de formada percebi que não seria uma tarefa nada fácil, pois motivar os pacientes a mudarem hábitos de higiene bucal e de alimentação estava sendo mais difícil do que fazer um canal ou uma restauração. Depois de algum tempo e muitas tentativas frustradas, tentando motivar os pacientes e observando que mesmo depois de todos os meus esforços em educar e motivar, muitos não retornavam para o “controle”, fui buscar na literatura algumas respostas e a conclusão que tive depois de pesquisar sobre o assunto é que tudo se resumia em falha de comunicação. A minha abordagem não estava sendo efetiva.

A comunicação passa por todas as ações de relacionamento: antes, durante e depois dos serviços prestados e ela é fundamental, principalmente nos dias de hoje em um mercado altamente competitivo. Essa correta comunicação é importante também para você motivar e se relacionar com a sua equipe de trabalho.

Há 7 anos atrás montei com dois dentistas uma clinica com uma equipe de 10 pessoas e a minha preocupação inicial, foi manter  a filosofia preventiva que praticava desde que me formei. Para que isso acontecesse, fiz um trabalho de conscientização da minha equipe, incluindo os dentistas, mostrando a importância da prevenção para manter a saúde dos pacientes e como esse trabalho fidelizava e atraía novos pacientes. Os dentistas da minha equipe ainda estavam em uma odontologia muito curativa.

Atualmente toda a equipe já entende que o paciente não pode iniciar um tratamento curativo, sem antes passar pelas consultas de prevenção. Primeiro precisamos educar e com isso, motivar os pacientes a mudarem hábitos.

Muitos programas de promoção de saúde falham pela dificuldade de comunicação e por inabilidade do profissional que não consegue adequar a sua linguagem, para transmitir as informações necessárias que irão motivar os seus pacientes a mudarem hábitos de higiene bucal e de alimentação, que são indispensáveis para se restabelecer e manter a saúde bucal.

Ao longo de 27 anos de clinica visando a promoção de saúde e prevenção, aprendi que:

1) Já foi-se o tempo em que ter o conhecimento técnico-científico era o suficiente. Temos que investir em outros conhecimentos, como psicologia e comunicação.

2) É possível sim, o paciente não ter mais cáries e doença periodontal e ainda assim, ganhar dinheiro, pois com a manutenção preventiva, cria-se um faturamento recorrente e crescente e ele está sempre te indicando novos pacientes;

3) Motivação necessita de recargas contínuas e precisa ser constante;

4) Quanto mais informação os pacientes recebem, mas motivados eles ficam;

5) Que o paciente é leigo, mas se você explicar de forma simples, ele entende, por exemplo, o que é periodontite e periimplantite;

6) Quanto mais imagens mostramos, mais ele assimila o que falamos, afinal dentre os canais de percepção que nós temos, o visual é o predominante;

7) O paciente “compra” prevenção;

8) Se passo o meu plano de tratamento após as consultas de prevenção, ele  aprova em 99% das vezes, pois vê valor agregado ao tratamento

9) Se convido a família para assistir a consulta de prevenção, onde ele recebe uma “aula”, a maioria marca uma consulta depois.

10) Ter como diferencial a filosofia preventiva é sinônimo de fidelizar, atrair e manter pacientes;

11) É importante estar sempre se atualizando, mas o que os pacientes mais dão valor é o cuidado e atenção que você tem com ele e que raramente ele irá te perguntar quantos cursos você já fez ;

12) O envolvimento da equipe é fundamental para o sucesso do programa de promoção de saúde.

Desta forma o que importa realmente para o paciente é a forma com que ele é tratado por você e sua equipe, se o ambiente é agradável. Ele quer se sentir, especial, acolhido e perceber que a sua maior preocupação e de sua equipe é com a sua saúde, seu bem estar e sua qualidade de vida.

Espero que esse artigo também tenha servido para que você possa refletir sobre que tipo de odontologia você vem praticando, uma odontologia curativa ou uma odontologia preocupada em promover saúde? Sempre é tempo de mudar, seguir novos rumos e perceber a verdadeira essência dessa profissão maravilhosa, que é ser dentista!

   

Esse artigo foi escrito pela Drª Cristiane Tavares:

 Graduada em 1988 pela Universidade de São Paulo

Membro da SOBRAPE ( Sociedade Brasileira de Periodontia)

Membro da SBOE ( Sociedade Brasileira de Odontologia Estética)

Membro da ABHA ( Associação Brasileira de Halitose)

Presidente da Associação dos Voluntários do Sorriso   www.voluntariosdosorriso.org

  • POR Nova DFL
  • TAGS

Comentários



Certificações Nova DFL - BPF

×

Certificações Nova DFL - ISO 9001:2008

×

Certificações Nova DFL - CE

×

Certificações Nova DFL - ISO 13485:2012

×